UMA ANÁLISE DA RELAÇÃO DO PRECONCEITO COM A COMPREENSÃO EM GADAMER

Cesar Augusto Silva de Sousa, Rita de Cassia Oliveira

Resumo


Sempre estamos imersos em uma determinada tradição que nos influencia, ela jamais deve ser tida como verdadeira sem antes ser submetida ao juízo da razão, mas essa razão não tem autoridade para liquidar a tradição, ela não pode ser simplesmente descartada como queriam os filósofos das luzes entre os séculos XVII e XIX. Portanto, ao tratar do preconceito em Gadamer é justamente retomar o que deve ser aproveitado da tradição para fundamentar o “novo”. Contudo, partimos de uma análise do que é preconceito para o filósofo Gadamer, com o intuito de chegar a uma relação dele com o ato de compreender e, a partir daí, saber o que devemos fazer para estar abertos para a construção do novo.


Texto completo:

PDF

Referências


CROCOLI, D. J. Hermenêutia e educação: o movimento da compreensão em Gadamer. Dissertação (Educação), UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL, 2012.

FRISON, M. F.. Gadamer e o pre-conceito. Diritto straniero, 2017.

GADAMER, H.-G. Verdade e Metodo I, Trad. F. P. Meurer, 14 ed. Petropoles, RJ: Vozes, 2014.

SILVA, A. F., & LOPES, M. d. Experiência hermenêutica em Gadamer: da reabilitação dos preconceitos ao conceito de experiência hermenêutica. PERI, V 06, 2014.

ZABEU, G. M. Preconceito e Diálogo: Ética e Ontologia na Fusão de Horizontes. Dissertação (Filosofia), Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Cesar Augusto Silva de Sousa

 

 

 Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 

ISSN: 2448-0916.

______________________________________________


 

/ // DRJI Indexed Journal / / / /