AVALIAÇÃO DA QUALIDADE AMBIENTAL DO RIACHO LAMEGO PELA RAZÃO EPT/CHIRONOMIDAE E TESTE MICROBIOLÓGICO

Kaique Kelvin Queiroz da Silva, Lais Carolline Nascimento Siqueira, Daniel Silas Veras-dos-Santos, Carlos Augusto Silva de Azêvedo

Resumo


: A água é um recurso natural indispensável para a existência dos ecossistemas e das populações humanas.  No entanto, ao longo do tempo, as ações antrópicas têm gerado a degradação quantitativa e qualitativa desse bem tão necessário à vida, em todas as suas tipologias, incluindo os mananciais, que são considerados fontes importantes para o abastecimento público. Dentro do perímetro do Campus do Instituto Federal do Maranhão no município de Caxias-MA, corre o Riacho Lamego que possui fitofisionomia de vereda, a qual representa importante papel como bacia coletora, por possibilitar a manutenção da perenidade de mananciais. Pelo exposto, considera-se necessária a realização de análise e monitoramento desse corpo hídrico, visando ao estabelecimento de seu diagnóstico qualitativo. Dessa forma, este trabalho avaliou a qualidade ambiental do Riacho Lâmego, por meio da medida bioindicadora Razão EPT (Ephemenoptera, Plecoptera e Tricoptera) /Chironomidae, que determina a relação entre organismos tolerantes e intolerantes à poluição ambiental, também foi feito uma avaliação da balneabilidade do riacho através de teste microbiológico de coliformes fecais.

Texto completo:

PDF

Referências


AMORIN, A.C. F. CASTILLO, A. R. Macroinvertebrados bentônicos como bioindicadores da qualidade da água do baixo rio Perequê, Cubatão, São Paulo, Brasil. BIODIVERS. PAMPEANA, v. 7, n.12, 2009.

BAPTISTA, D. F. Uso de macroinvertebrados em procedimentos de biomonitoramento em ecossistemas aquáticos. Oecol. Bras., 12 (3): 425-441, 2008.

BARBOSA, C. C. et al. Qualidade microbiológica da água consumida em bebedouros de uma unidade hospitalar no Sul de Minas. REAS, Revista Eletrônica Acervo Saúde, 2012. Vol. 4 (1), 200-211.

CARDOSO, R. S.; NOVAES, C. P. Variáveis Limnológicas e Macroinvertebrados Bentônicos como Bioindicadores de Qualidade da Água. Revista Nacional de Gerenciamento de Cidades, v. 01, n. 05, 2013, pp. 16-35

CESTEB. Protocolo para o biomonitoramento com as comunidades bentônicas de rios e reservatórios do estado de são Paulo. São Paulo: CESTEB, 2012. Disponível em: Acesso em: 23 agost. 2015.

CONAMA, 2000. Resolução CONAMA nº 274, de 29 de novembro de 2000. Brasília-DF (Brasil), Conselho Nacional de Meio Ambiente, Ministério do Meio Ambiente.

CONCEIÇÃO.; G. M. RUGGIERI, A. C. Ocorrência e importância de Hidrolea spinosa L. (Hidrolaphyllaceae), Caxias, Maranhão-Brasil. Rev. Acta Tecnológica, v. 5, n.1, 2010.

ESTEVES, F. A. Fundamentos de limnologia. 3 ed. Rio de Janeiro. Interciência, 2011.

FONTENELLA, A. et al. Diagnóstico ambiental da bacia hidrográfica doRio da Ilha, Taquara, Rio Grande do Sul, Brasil. R. bras. Bioci., Porto Alegre, v. 7, n. 1, p. 23-41, jan./mar. 2009.

GONÇALVES, Análise comparativa de índices bióticos de avaliação de qualidade da água, utilizando macroinvertebrados, em um rio litorâneo do estado do Paraná. Curitiba, 2007. Dissertação-Universidade Federal do Paraná.

GOULART, M. D. C.; CALLISTO, M. Bioindicadores de Qualidade de Água como Ferramenta em Estudos de Impacto Ambiental. Revista da FAPAM, ano 2, n. 1, 2003.

LOPES, F. W. A.; MAGALHÃES Jr., A. P. Avaliação da Qualidade das Águas para Recreação de Contato Primário na Bacia Do Alto Rio das Velhas -MG. Hygeia 6(11): 133-149, Dez/2010.

MUGNAI, R.; NESSIMIAN, J. L.; BAPTISTA, D. F. Manual de identificação de macroinvertebrados aquáticos do estado do Rio de Janeiro. 1 ed. Rio de Janeiro: Techinical Books, 2010.

POLETO, C. Introdução ao gerenciamento ambiental. Rio de Janeiro: Interciência, 2010.

SAULINO, H. H. L.; CORBI, J. J.; CARACCIOLI, L. C. Avaliação da qualidade da água da nascente do Ribeirão das Anhumas (Araraquara-SP) através do estudo dos macroinvertebrados aquáticos. REVISTA UNIARA, v.14, n.1, julho 2011.

SILVEIRA, M. P.; QUEIROZ, J. F.; BOEIRA, R. C. Protocolo de coleta e preparação de amostras de macroinvertebrados bentônicos em riachos. Jaguariuna: Embrapa Meio Ambiente, 2004.

TANAKA, M. O. et al. Redundância entre métricas da qualidade ambiental de riachos em paisagem agrícola. Rev. Ambient. Água, vol.10 no.4 Taubaté Oct./Dec. 2015.

WORLD HEALTH ORGANIZATION, 2011. Guidelines for drinking-water quality . 4 th ed. Disponívelem:http://www.who.int/water_sanitation_health/publications/2011/dwq_guidelines/en/. Acesso em: 23 agost. 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Cadernos Cajuína

 

 

 Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 

ISSN: 2448-0916.

______________________________________________


 

/ // DRJI Indexed Journal / / / /