A ESCREVIVÊNCIA DE CHIMAMANDA NGOZI ADICHIE EM AMERICANAH: diálogos com Conceição Evaristo

Ana Claudia Oliveira Neri Alves, Elio Ferreira de Souza

Resumo


Este artigo discute a articulação entre o fazer literário e a condição biográfica do sujeito autoral proposta por Conceição Evaristo no seu conceito da Escrevivência. Buscamos evidenciar a escre(vivência) da Chimamanda Ngozi Adichie, mulher negra nigeriana que inscreve no corpus literário contemporâneo uma forma contundente de auto-representação individual e coletiva, presente no registro ficcional de questões raciais e de gênero apresentados no romance “Americanah” (2013). Analisamos essa possibilidade de reflexão sobre o papel da mulher negra enquanto escritora, verificando as operações estéticas a partir das quais elas articulam as intervenções da vida sobre a palavra escrita e vice-versa.

Texto completo:

PDF

Referências


ADICHIE, C. N. Americanah. São Paulo: Companhia Das Letras, 2014.

_________. O perigo da história única – subtitle transcript, 2009 acessado em: 08/09/2015

_________. African “Authenticity” and the Biafran Experience. Transitions, n° 99, p. 42-53. Indiana University Press, 2008.

BERND, Zilá. Introdução a Literatura Negra. São Paulo: Editora Brasiliense, 1988.

BHABHA, Homi. K. O local da cultura. Trad: Myriam Ávila, Eliana Lourenço de Lima Reis, Gláucia Renate Gonçalves. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998.

CANDIDO, Antonio. Literatura e cultura de 1900 a 1945. In: Literatura e sociedade. Rio de Janeiro: Ouro sobre Azul, 2010, p.13-82

EVARISTO, Conceição. Literatura Negra: uma poética de nossa afro-brasilidade. In Literatura, história, etnicidade e educação: estudos nos contextos afro-brasileiro, africano e da diáspora africana. Org. Denise Almeida Silva, Conceição Evaristo – Frederico Wesphalen: URI, 2011, p.131-141.

_________. Da Grafia – Desenho de minha mãe um dos lugares de nascimento de minha escrita. In Representações Performáticas Brasileiras: teórias, práticas e suas interfaces. (org) Marcos Antônio Alexandre, Belo Horizonte, Mazza Edições, 2007, p 16-21.

_________. Gênero e etnia: uma escre(vivência) de dupla face. In Mulheres do mundo – Enia, Marginalidade e Diáspora. Org. Nazilda Martins de Barros Moreira & Liane Schnider, João Pessoa, UFPB, Idéia/Editora Universitária, 2005

OLIVEIRA, Luiz Henrique Silva de. “Escrevivência” em becos da memória de Conceição Evaristo. In Revista de estudos Feministas, Florianópolis, 17: 344, 2009. p. 621-623

SHOWALTER, Elaine. A literature of their own – British Women Novelists from Brontë to Lessing. New Jersey: Princeton University press, 1977.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. Pode o subalterno falar? Tradução de Sandra Regina Goulart Almeida, Marcos Pereira Feitosa, André Pereira Feitosa. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Ana Claudia Oliveira Neri Alves, Elio Ferreira de Souza

 

 

 Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

 

ISSN: 2448-0916.

______________________________________________


 

/ // DRJI Indexed Journal / / / /